Anchieta é o único colégio do RS a participar de desafio mundial de desenvolvimento de jogos

Publicado em 13 de julho de 2018

Foram dois dias intensos de planejamento, organização, criação e finalização de projetos. Os laboratórios de Matemática e Informática da Biblioteca Central viraram o “QG” de um grupo de alunos que participaram do Global Game Jam Next, uma competição de desenvolvimento de jogos, que acontece anualmente em nível de graduação, mas que pela primeira vez foi direcionada a jovens de 12 a 17 anos, envolvendo 50 escolas do mundo inteiro. Entre essas instituições, das quais 7 estão no Brasil, o Colégio Anchieta figurou como a única do RS a participar do evento.

Alunos do 6º, 8º e 9º Ano interessados em criação e programação de jogos inscreveram-se para o desafio. Alguns vieram da Robótica e juntaram-se ao grupo: Luca Yamada e Eduardo Eboli, da turma 81, e Bernardo Mendonça, da turma 63. A iniciativa contou com o apoio do professor de Introdução ao Pensamento Computacional, Leonardo Boita, dos professores da Robótica, Gabriel Sehna e Tiago Broilo, e da professora Joelene Lima, das Tecnologias Educacionais. “Foi uma primeira experiência que já nos projeta como sede do próximo GGJNext, no ano que vem”, comemora Joelene.

No mês de junho, os alunos participaram de oficinas de programação com estudantes do curso de Jogos Digitais da Unisinos, com vistas à participação no evento. Nesse período, os alunos tiveram contato com as ferramentas que iriam usar no desafio, cujo tema foi Fractais, ou seja, objetos geométricos que podem ser divididos em partes, cada uma das quais semelhante ao original.

A organização do Global Game Jam Next tem sede em Londres e toda a competição passa por uma série de regras, autorizações, a fim de assegurar que os participantes realmente tenham uma experiência positiva. A equipe que administra o evento é formada por voluntários que têm como objetivo trazer o desenvolvimento de jogos para a sala de aula, disseminando essa cultura entre os jovens e incentivando o pensamento criativo e o ensino da programação.

A atividade também inspirou os alunos menores da Robótica que visitaram os participantes e conheceram os processos pelos quais passa um jogo até chegar em seu estágio final. Ao término do segundo dia de desafio, além dos projetos finalizados, os alunos apresentaram um pitch, uma apresentação final dos seus jogos.

2018-07-13T20:16:10+00:00