Semana Inaciana: Inácio e a Companhia de Jesus

//Semana Inaciana: Inácio e a Companhia de Jesus

Semana Inaciana: Inácio e a Companhia de Jesus

Publicado em 3 de agosto de 2018

Aos 35 anos, em 1524, Inácio retorna à Barcelona e aos estudos de latim, dividindo a sala de aula com as crianças. Dois anos depois, iniciou os estudos de filosofia ainda na Espanha.

Nesse período, Inácio orientou diversas pessoas na experiência dos Exercícios Espirituais. Sua atuação, porém, acabou por despertar suspeitas das autoridades religiosas. Por três vezes foi chamado a depor no tribunal da Inquisição e acabou sendo preso, na Semana Santa de 1527.

Proibido de explicar sobre a doutrina cristã, enquanto não estudasse teologia, mudou-se para Paris. Por não saber a língua francesa, falaria menos de assuntos espirituais e poderia dedicar-se mais ao estudo.

Na capital francesa, Inácio não abandonou totalmente os trabalhos apostólicos, mas os moderou. Aos domingos, reunia um grupo de estudantes num convento de cartuxos. Orientou também os Exercícios Espirituais de alguns jovens mais desejosos de crescer no serviço de Deus. Assim formou-se o grupo de companheiros que haveria de fundar a Companhia de Jesus. Eram eles: Pedro Fabro, Francisco Xavier, Simão Rodrigues, Diogo Laínez, Afonso Salmeron e Nicolau Afonso.

Passados dez anos, em 15 de agosto de 1534, festa da Assunção, na capela de Montmartre, em Paris, Inácio e os seis amigos fizeram votos de gastar a vida em favor dos outros, seguir Jesus Cristo pobre, ir a Jerusalém ou a Roma e colocar-se à disposição do Papa.

Estavam dispostos a cumprir a promessa de ir a Jerusalém. Mas as circunstâncias impediram a viagem. Não havia barco para a Terra Santa, naquele ano. Em Veneza, Inácio e os companheiros que ainda não eram padres receberam a ordenação sacerdotal.

Inácio voltou à Roma e recebeu uma grande graça logo em sua chegada. Enquanto rezava na capela de La Storta, em meio a um grande sentimento de alegria e consolação espiritual, pareceu-lhe ouvir Deus dizendo-lhe: “Eu vos serei propício em Roma; eu estarei convosco”. E Jesus, carregado com a Cruz, toma Inácio consigo e diz: “Quero que tu nos sirvas”. Este fenômeno místico fez com que Inácio se sentisse ainda mais unido a Cristo e que tivesse a firme certeza de que Deus aceitava a Companhia de Jesus.

Em Roma, os primeiros jesuítas se colocaram à inteira disposição do Papa Paulo III, que aprovou oficialmente a Companhia de Jesus (em latim, Societas Iesu, S. J.) em 27 de setembro de 1540 e começou a enviar os companheiros em missão.

Poema

Vídeo 10 características da Espiritualidade Inaciana

2018-08-09T20:49:05+00:00